Cruz Expectante (r)
Página Inicial
Vida e Obra do Patrono da Igreja Expectante
Textos de ou sobre Cedaior, Sevãnanda, Thoth e Ischaïa
Biblioteca
Mapa dos Núcleos
Perguntas Frequentes
Entre em Contato
Como entrar para a Egrégora Expectante

 


O “CEIFADOR” ESTÁ DENTRO DA MAIORIA


“A Igreja Expectante será uma igreja minoritária”, vaticinou o Mestre Cedaior, diante de oito ilustres testemunhas, no ato de criação da nossa Egrégora, em 1919. Entre os co-fundadores, seu filho Jehel, mais tarde Sri Sevãnanda Swami, 2º Patriarca Expectante. Foi o Mestre Sevãnanda que transmitiu esta passagem a Thoth, o 3º Patriarca, que hoje está abrindo o 3º Encontro Expectante, em Guarapari-ES, na presença de 11 participantes vindos do Sul e Sudeste do Brasil, sacerdotes e noviços. Às vésperas de completar 90 anos de fundação, a fotografia oficial do evento comprova mais uma vez o que Cedaior havia previsto: a Igreja Expectante é uma igreja para pequenos grupos. Neste caso, onze esforçados discípulos, com imensa responsabilidade sobre as costas, no entorno do Mestre. 

Mas por quê? Afinal, o que o insigne Cedaior quis dizer com “minoritária”? Queria ele posicionar o Expectantismo como um reduto elitista e segregador? Não! Com a célebre afirmativa, o Mestre nos instruía de que naquele momento nascia uma igreja nada fácil de seguir. Simplesmente porque não vende indulgências e não promete nada a ninguém. Uma igreja assim concebida (e recebida), por natureza, jamais será voltada às multidões. Aqui o indivíduo é amorosamente acolhido, estimulado e ensinado a combater e dominar os seus próprios dragões. Luta sem fim que só ele mesmo pode empreender. Mas logo percebe que a tarefa é hercúlea, pois ser um Expectante é olhar para dentro e enfrentar o egoísmo, o orgulho, a vaidade e toda sorte de baixezas humanas, que abrigamos, colhendo pequenas, mas animadoras vitórias a cada batalha honesta. Ser um Expectante é empregar com inteligência e denodo as inúmeras oportunidades de AGIR, no dia a dia, em favor do próximo e na vigilância sobre si mesmo.

Deste ponto de vista, pensando bem, dá para compreender por que a maioria, por preguiça ou falta de real vontade, se entrega à conveniência e comodismo de crer que a “salvação” será alcançada com o recolhimento regular de alguma contribuição financeira, ou com a freqüência periódica a cultos, rituais e celebrações. Como se fosse possível negociar vaga no céu ou comprar a Realização... “Quanto mais ignorante o fiel, mais fácil de ser explorado”, adverte o Patriarca Thoth. Ou seja, se o candidato não é um livre-pensador e não traz a busca espiritual à flor da pele, logo se afastará e provavelmente culpará a igreja (na qual se encostou) por seus fracassos e frustrações. Se o aspirante não tem a capacidade de vencer o seu ódio, a sua inveja, fatalmente vai acabar acreditando que alguém poderá fazê-lo por ele. Ledo engano das criaturas de pouca fé e devoção! Em matéria de espiritualidade, só aquele que tem a coragem e determinação de procurar no espelho as suas iniqüidades poderá um dia chegar a ser alguma coisa e ter utilidade para o Plano. 

Faz 55 anos que Thoth conheceu o Mestre Sevãnanda, em Belo Horizonte, e passou a segui-lo como um cão segue a seu pastor. Já como sucessor e Patriarca, divulgando a Obra desde 1970, tendo inclusive renunciado a sua fortuna pessoal, Thoth atraiu, cada um a seu tempo, colaboradores próximos que lhe reforçaram o ímpeto e a esperança de entregar, à futura Matriarca, além do cajado, auxiliares sinceros e comprometidos. Mas o “ceifador” encarna de quando em vez e a maioria vai ficando pelo caminho. “Muitos foram aqueles que se me aportaram com a ganância necessária de usurpação de poder. Todos foram naturalmente rechaçados pelas forças superiores”, relata o velho Mestre, que completará 93 anos em novembro. Lamentável, como ele mesmo constata, “é ter tanto para ensinar e não ter ninguém que queira aprender”. Com tristeza no olhar, Thoth corrige-se a tempo: “Ter... Até tem... Querer... Até querem... Mas com limitações”. Eis o desafio para os que conseguiram se abaixar antes de a foice passar.

 

© Todos os direitos reservados © Egrégora Expectante - Site Oficial   
igrejaexpectante@igrejaexpectante.org