Cruz Expectante (r)
Página Inicial
Vida e Obra do Patrono da Igreja Expectante
Textos de ou sobre Cedaior, Sevãnanda, Thoth e Ischaïa
Biblioteca
Mapa dos Núcleos
Perguntas Frequentes
Entre em Contato
Como entrar para a Egrégora Expectante

 


Pinga-fogo com Thoth
(Instrução aos discípulos no 1º dia do Encontro Expectante'2008)


AS FORÇAS NEGATIVAS
Dentro do que nós estudamos, o ocultismo diz que o Macrocosmo é igual ao Microcosmo. E vice-versa. O que está em cima é o que está em baixo. Então, todas as coisas têm o seu duplo.  Como o bem e o mal. Há os asseclas do mal e os asseclas do bem. As energias positivas e negativas são usadas dentro de um terreno que é qualificado de acordo com a necessidade, o parâmetro, a evolução, desejo e conhecimento das pessoas e dos círculos aos quais elas pertencem. Portanto, existe a noite e existe o dia. Existe. Não podemos negar a força do mal, como não podemos negar a força do bem. Agora, cada um escolhe o caminho a seguir, segundo aquilo a que chamamos livre arbítrio. A Força Divina nos deu essa possibilidade e a liberdade de escolher o caminho. Os asseclas do mal têm os seus superiores. Como aqueles que lutam no bem têm os seus superiores. Só que o escuro, a parte negra, a noite, a escuridão clareia diante de um simples fósforo aceso. Clareia até o ponto da sua eqüidistância. A potência do fósforo vai daqui até aqui... Uma lâmpada mais forte vai mais longe. Quanto maior é a nossa luz interior, maior é a nossa projeção. Quanto maior é a nossa luz interior, maior a força da nossa egrégora. Portanto, podemos ser pequenos em um grupo. Mas um grupinho aqui, outro ali, outro lá, outro acolá, trabalhando dentro da pureza, tem a capacidade energética de jogar a parte negra da vida para longe. Por isso podemos trabalhar tranqüilos. Não fazemos questão de quantidade, mas, sim, de qualidade.

COMUNICAÇÃO E ABERTURA DOS SACERDOTES
Todos nós temos sempre alguma coisa dentro de nós que podemos dar para os outros. Porém, o nosso egoísmo é tão grande, que nos fechamos, ficamos calados e não damos oportunidade ao nosso ego superior de se externar. Na Igreja Expectante devemos pôr as coisas para fora.  Porque diz Jesus o seguinte: “Não ponhas a luz embaixo do alqueire porque a luz foi feita para ser colocada na arandela e clarear tudo em volta”. Cada vez que deixamos de falar alguma coisa boa estamos deixando a nossa luz interior sob o alqueire, fechada no nosso egoísmo.  Fazendo isso, não deixamos transparecer, não estendemos a nossa mão ao próximo. Gente, tudo é trabalho. Por menor que seja um trabalho, ele tem sempre o seu raio de ação. Um simples aperto de mão transmite ao outro aquilo que você quer transmitir: alta magia. Você pode transmitir amor, força, poder, ou, se não, pode transmitir seu egoísmo pessoal, frieza. Há pessoas incapazes de dar a mão às outras.  Essa é a vida. Às vezes a pessoa precisa levar um sacolejo. Às vezes a gente precisa levar uma pessoa a um despertar.

FÓRMULA DO ÓLEO SAGRADO
As pessoas são tão afetadas, tão cheias de empáfia, orgulho, vaidade e presunção, que querem modificar certas coisas, das quais não conhecem a potência daquilo que está para ser feito. Tudo na vida tem a sua razão de ser. O sujeito que tem a pretensão de dizer
“não, eu não faço isso porque com isso eu vou comer um irmãozinho, um boizinho etc”...
Isso pertence à vida material!  Todo bicho, todo inseto, tem aqueles que foram feitos para a alimentação dos que estão ao redor. Foi feita esta pergunta ao Senhor Jesus em linguagem um pouco diferente e Ele respondeu com uma frase que mudou toda a minha vida, quando eu era metido a besta, vivia em um regime ovo-lácteo-vegetariano, pensando que com isso iria adquirir um par de asas: “Nada que entra pela boca do homem contamina o homem, mas, sim, tudo aquilo quanto sai da boca do homem é que contamina o homem”. Nós somos animais e, como animais, vivemos de outros animais, como toda a natureza. Temos aquilo que nos alimenta. Um dia viveremos só através do ar, de prana, mas daqui até lá o ser humano já terá modificado toda a sua estrutura. Quem levanta essa questão se esquece de que bota um par de sapatos de couro; se esquece dos churrascos que come; se esquece das galinhas que faz, assadas ou ao molho pardo; se esquece de um mundo de coisas, dos vegetais que está comendo. Então, vamos deixar de ser pretensiosos, de ser assim “Ah, eu tenho pena do boizinho”... Ele foi feito para o homem comer! Assim como a galinha e o porquinho... Quando essas essências não existirem mais no mercado o mundo já terá dado uma volta muito grande. Porque essas essências do óleo sagrado vêm de Moisés, quando fez a sagração de Arão como sacerdote. Depois de muitos longos anos decorridos, a rainha Elizabeth mandou preparar o óleo e a fórmula foi desvendada. Até então, estava oculta. São treze essências e cada uma delas representando o seu valor, um apóstolo do Cristo e outras coisas. Eu pergunto: seria contraproducente ter uma essência fabricada de outras matérias? Depende de quem vai usar, sua maneira de sentir e viver. Não sejamos tão estultos de querer calçar pantufas para não usar o couro. E essas pantufas? Não foram feitas de uma pele de coelho? Não foram feitas de um algodão? Tudo na vida é modificável. E uma coisa veio sempre para alimento da outra. Não vamos querer pensar nessas coisas todas se temos o ódio dentro de nós, se temos a raiva dentro de nós, se somos mentirosos, se somos cretinos, vaidosos, se falamos mal do nosso próximo.  Qualquer óleo pode ser usado, desde que você dê a ele o valor que deseja dar. Gente, não vamos deixar essas pequeninas coisas nos levar para um campo cheio de minas, que podem explodir de forma diferente. Vamos viver a vida conforme a vida se nos apresenta, procurando, todavia, nos modificar. Porque a nossa reforma virá um dia. Daqui a 10 ou 50 milhões de anos você pode ter a certeza absoluta de que o ser humano vai passar a viver de prana. Aí não vamos precisar de dentes, intestinos, não vamos precisar falar, vamos conversar telepaticamente. É a evolução humana. Um dia vamos fazer tudo isso. Então, não tem problema nenhum. Tudo é a aceitação das circunstâncias do momento. Nossa obrigação é viver o hoje. Se o momento é este, vamos aproveitar. Agora, por que criar um sentimento “ah, eu não vou matar uma formiguinha”. Deixa ela ferrar você para ver se você não dá um tapa nela... Um marimbondo, deixa ele lhe afetar para ver se você não revida. Isso tudo é para nos mostrar que temos dentro de nós coisas muito mais graves a tratar. Vamos tratar de deixar de falar mal do nosso irmão, de deixar de bater no nosso filho, tratar de não brigar o marido com a mulher, a mulher com o marido, mãe com filha, filha com a mãe etc. A balbúrdia que temos dentro dos lares... Estão todos contaminados. Entretanto, vivemos aquilo que está ali normalmente. A isso se chama fantasia mental, para o sujeito poder dizer “Eu sou bom, eu não como meu semelhante”. A veste não faz o monge. De que adianta vender uma imagem de grande pureza, quando muitas vezes se praticam atos muito piores? Vamos deixar de fantasia. Não vamos colocar coroa de santo na cabeça, se estou aqui com um olhar maledicente para uma outra pessoa. Vender uma imagem de santo interior se tenho o diabo dentro de mim?... Pára com isso! Vamos ser honestos, pelo menos conosco mesmos. Porque a honestidade para os outros, você a faz simplesmente para se promover. Se mostrar bom, quando na realidade não é bom. Vamos despir esta crosta tremenda de vaidade pessoal. Vamos cair na realidade sem tentar impor a nossa realidade a quem quer que seja. Temos que respeitar o livre arbítrio da criatura humana. Onde está o princípio de caridade, de solidariedade, concordância, o princípio de ser honesto, se vou levantar uma questão a qual não tenho a capacidade de solver? Vender uma imagem que eu não tenho?...

DESLIGAMENTO DE MESTRE E DISCÍPULO
A esse processo chamamos de emulação. O processo de emulação traz para o indivíduo aquilo que se chama identificação da potencialidade dos dois. Quando um mestre encontra um discípulo que já chegou ao seu processo de emulação, ele simplesmente diz “beijinho, tchau, até uma outra encarnação. Porque você já se tornou um mestre. Cuide do seu rebanho”. Emulação é o processo de igualdade. Existindo igualdade entre um mestre e um discípulo, onde é que está a continuidade de mestre e discipulado? Já se perdeu. Quando dois seres não mais se amam, antes se separarem do que autodestruírem-se. Assim disse o Mestre Amo Philippe de Lyon. Um processo de emulação costuma acontecer em todas as circunstâncias de um mestrado e de um discipulado. Porque o mestre só leva o discípulo até onde ele pode levar. Porque o mestre, também, só tem a capacidade de ir até A, B, C ou D. O discípulo, quando chegou a A, B, C ou D, tornou-se equânime com o mestre. Chegou a hora de ele receber outro mestre. Essa hora é perigosa, porque ele pode receber um mestre negativo. E ele, induzido pelas forças negativas, vai ocorrer de o seu rebanho poder ser levado para a parte negativa. Aquele que foi bom tornou-se mau. Perdeu-se. Como também tem o processo ao contrário. Ele chegou até o ponto onde o mestre estava. Dali em diante o mestre vira pra ele e diz: “Agora você vai receber outro mestre. Aqui foi até onde eu pude trazer você. Leve a sua instrução, o seu conhecimento, porque você vai ver que o mestre está a sua disposição”. A linha de aprendizagem é infinda, não se perde nunca, está sempre presente. Cada minuto de nossa existência é um minuto de aprendizagem.  Quer o mestre esteja presente, quer seja uma criança que vem nos dar um exemplo.

PARTICIPAÇÃO EM OUTRAS ORDENS E IGREJAS
Essa pergunta já está respondida através dos regulamentos da Igreja Expectante. A primeira instrução sacerdotal diz: você tem todo o direito de freqüentar tudo aquilo que quiser freqüentar, desde o momento em que você vá com o intuito de aprender e trazer o resultado daquilo, de acordo com sua análise, para dentro da igreja, como um acervo seu para com a igreja. Você irá com isso, aquilo e aquilo outro, os conhecimentos que está adquirindo, para beneficiar o próximo. Pode ser uma luterana, um espírita, a Igreja Expectante não lhe condena por isso. Ao contrário, vá, analise, apalpe, cheire, tire suas conclusões e regresse ao seu ponto de partida, que é a Igreja Expectante. É seu acervo dentro da Igreja Expectante, que é totalmente ecumênica.

A PENEIRA
O Mestre Amo, andando junto com Papus, ao passar pela porta de uma igreja, viu um aleijado pedindo esmola. Papus, virando-se para o Mestre Amo, perguntou: “Mestre, você não poderia ajudar aquela criatura que está lá?”. O Mestre respondeu: “Eu vou lá conversar com ele”. Dirigiu-se ao aleijado e fez uma pergunta: “Você quer ficar bom disso?”. O aleijado respondeu que sim. “Pois bem, então se levante e vá a sua casa. Debaixo do seu colchão há uma importância ‘X’ que você já tem guardada lá...”. O doente ficou apavorado com o assunto e retrucou: “Não... Vamos dar tempo ao tempo”.  O Mestre Amo voltou e disse a Papus: “Olha, ele não quer ficar bom. Porque essa é a quarta encarnação em que ele vem como doente. E não se interessa em ficar bom porque ali ele ganha um dinheiro sem fazer esforço. E já tem uma fortunazinha feita, bem guardada. Então, é mais uma encarnação que ele vai perder. Quando ele voltar, continuará sendo mendigo, até chegar o dia de ele se arrepender disso tudo. Eu nada posso fazer por ele”. Porque nenhum doente fica bom se não tiver vontade de ficar bom. A medicina e os remédios, 50% perdem (a eficácia). Tudo tem que partir do indivíduo, em querer fazer, em querer ser. Porque nem o próprio Cristo pode chegar aqui e impor a você de fazer alguma coisa que você não queira. Porque aí você está ferindo a lei do livre arbítrio. É preciso primeiro você desejar para depois você ser. O situar-se é uma questão muito importante, o posicionamento. Quando um indivíduo consegue se situar em algum lugar, ele faz parte total, integrante, daquele lugar. Mas quando ele não se situa, é bobagem, passa uma peneira e ele vai embora.  Eu sempre disse que a Igreja Expectante tem uma porta desse tamanhinho para entrar e desse tamanhão para você sair. A Igreja Expectante não fecha a porta pra ninguém. Porque a lei é esta: “Batei e abrir-se-vos-á. Pedi e dar-se-vos-á”. Palavras do Mestre Jesus.  O direito de o sujeito errar, ele tem, por seu livre arbítrio. O direito de ele querer se consertar, ele tem, porque é perdoando que se dá oportunidade às pessoas. Eu não posso negar um perdão a quem quer que seja. Não podemos negar nada a ninguém. Mesmo por que, se eu nego alguma coisa, sou responsável por aquilo que estou negando. Eu cerceei a liberdade de ação do indivíduo.

QUEM ME TROUXE SAIU. E AGORA?
Tolerância e compreensão. Não julguem. Simplesmente aceitem a posição do indivíduo.  Porque ele tem o direito de se externar de uma forma, como tem o direito de se arrepender e retornar ao abrigo. Temos o dever, por humanidade, de dar oportunidade às pessoas, tantas vezes quantas forem necessárias, até o ponto em que você vai compreender que o indivíduo ainda não está preparado. Jesus diz: “Não dê pérolas aos porcos, porque eles, não sabendo o seu valor, irão pisoteá-las e voltar-se contra você”. Então, você tem que saber se restringir no momento em que você, no lugar de ajudar, está atrapalhando. Se eu for levar a luz para um cego não sabendo as razões pelas quais ele é cego, dar a luz a ele vai atrapalhar a vida dele, porque ele vai deixar de cumprir com algo pelo que está pagando fatos terríveis do passado. Então, como eu procedo? Eu me volto ao Mestre Amo e digo: “Mestre, se for possível, e se o indivíduo merecer, por favor, ajude essa criatura”. Geralmente, ele recebe o benefício. Geralmente.

 

© Todos os direitos reservados © Egrégora Expectante - Site Oficial   
igrejaexpectante@igrejaexpectante.org