Cruz Expectante (r)
Página Inicial
Vida e Obra do Patrono da Igreja Expectante
Textos de ou sobre Cedaior, Sevãnanda, Thoth e Ischaïa
Biblioteca
Mapa dos Núcleos
Perguntas Frequentes
Entre em Contato
Como entrar para a Egrégora Expectante

 

 
Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida

Capítulo XV do livro "Debulhando Verdades", do Patriarca Thoth


       Depois de muitas lutas, muitos sacrifícios e cansaços, foi que conseguimos chegar a Natal-RN, em 15 de agosto de 1989. Logo no dia seguinte iniciamos os trabalhos nas reuniões Expectantes, as quais ocupam horários aos domingos, 16h30 em diante, e de segunda à quarta, às 20 horas.

Foi exatamente no dia 27 de agosto de 1989 que, no Templo Sevãnanda, registrei a ocorrência:

Enquanto o Sacerdote Saulo fazia a leitura dos trabalhos, através das invocações comecei a sentir uma onda de infinda tristeza avassalando todo o meu ser. No princípio relutei um pouco, mas a onda pertinaz avançava lenta, porém firme, se assenhoreando cada vez mais e mais de mim. Aquilo não era absolutamente normal, porque as cerimônias na Igreja Expectante, aos domingos, têm características festivas. Deixei, pois, que a sensação de tristeza tivesse o seu curso e, como resultado, as lágrimas iniciaram o processo de invadir os olhos, descendo posteriormente pelas faces!

Decorrido algum tempo, ouvi o Sacerdote Saulo me interrogar:

— Mestre, o senhor quer dizer alguma coisa?

Lentamente, como se estivesse balbuciando, disse: “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida”, como epígrafe da dissertação que seria feita naquela hora.

Meus queridos filhos: há quase 2000 anos o Divino Rabi da Galiléia ensinava os seus discípulos dizendo que Ele era o Caminho, nos dando, desta forma, a VIA pela qual deveríamos seguir e que teríamos que trilhar sem incertezas, sem restrições. No entanto, quão amargurante é notar que mui pouco avanço tem sido feito pela amorosa estrada aberta pelo venerável e amado Mestre! Se Ele é o Caminho, por que não segui-Lo? Por acaso algum outro Mestre foi imolado na ara do sacrifício, entregando sua vida por amor a nós? Abandonando, renunciando, através do irrefutável exemplo da Crucificação, todo poder temporal para nos mostrar o PODER ETERNO?

Não, meus filhos! Mil vezes não. Muitos são os chamados a trilhar o caminho. Ele está sempre presente, mas poucos são os que se dedicam na realidade a seguir o caminho... E suas restrições são inerentes às tendências pessoais para uma boa e cômoda vida material, vida esta acentuada pelo poder temporal, poder fenecível.

“Eu sou o Caminho” – e nós ainda hoje vivemos a procurá-lo. “Vinde a mim que os confortarei”. No entanto, cegos pelas nossas incúrias, pela nossa falta de fé, continuamos como mariposas noturnas, atraídas por qualquer luminosidade que se nos apresenta, ou seja, por promessas falazes, demonstrando dessa forma o pouco caso, a indiferença, a frieza com que nós ainda tratamos e demonstramos quando surge a “oportunidade” de falar em tão magno assunto – o Drama do Gólgota. “Eu sou o Caminho”... E esse caminho está dentro de nós. Porém, muitas vezes esquecido, devido a nossa mórbida indiferença criada pela força Negativa que nos circunda!...

“Eu sou a Verdade”... “Ninguém irá ao Pai a não ser por mim”...

E, no entanto, vivemos a nossa vida diária numa constante negligência em não praticar esses ensinamentos. No lugar da verdade, vivemos pregando mentiras em múltiplos momentos de nossas vidas. E isso é mal, porque ao procedermos assim estamos fugindo do caminho da verdade. Só conseguiremos mudar quando resolvermos modificar a prática diária da nefasta mentira, transmutando-a em Verdade.

Há quem diga: “Mas, Mestre, existem momentos em que não devemos dizer toda a verdade a alguém... Como fazer?” Respondo simplesmente: Neste caso é preferível que se omita. Procedendo dessa forma, pelo menos evitaremos uma criação Cármica com as responsabilidades advindas. Com a prática diária desse método, vamos obviamente modificando também toda a estrutura do ser, e passamos logo a sentir os efeitos benéficos que são adquiridos com essa nova maneira . “Eu sou o Caminho”... Desta forma estaremos voltando à estrada que nos foi aberta através dos duros, terríveis sofrimentos, passados pelo senhor Jesus. Vamos, meus queridos, lançar mão de toda a nossa vontade e amor para seguirmos as pegadas do Mestre na estrada que foi aberta para nós.

“Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida”. Assim, dessa forma, movidos pelo desejo ardente de agir, de seguir o Mestre, estaremos vivendo de acordo com seus ensinamentos, porque Ele disse: “Quem achar sua vida perdê-la-á; e quem perder sua vida por amor a mim achá-la-á.” (Mateus, 10:39).

Não sejamos tão ilusos em pensar que só a morte da matéria poderia nos salvar. Mas, sim, que a morte do EU Inferior, com todas as suas características, isto sim é que poderia nos dar a oportunidade de saciar nossa sede na fonte inesgotável da “água da vida”, porque também Ele diz: “Aquele que beber a água da vida jamais sentirá sede”.

Que as almas sequiosas possam seguir a Senda da Verdade para a vida Eterna.
 

 

 

© Todos os direitos reservados © Egrégora Expectante - Site Oficial   
igrejaexpectante@igrejaexpectante.org